• Educação permanente | O treinamento como estratégia

    O aprimoramento pessoal é um imperativo em tempos de competitividade acirrada e mercado instável. Para garantir sobrevivência, as empresas necessitam de colaboradores habilitados a agir com critérios técnicos diante de um consumidor cada dia mais exigente. Por isso, o treinamento profissional não pode ser visto pelo empreendedor como ação ocasional e sim, como atividade perene, porém, com objetivos específicos e claros.

    Para que esse movimento interno da empresa, de melhoria constante, não se perca em boas intenções, é preciso estrutura e orientação, tendo o mercado como referência. O que significa posicionamento diante da concorrência, que também procura o aperfeiçoamento que necessita.

    É utópico querer participar de um mercado competitivo e seletivo de forma aleatória, sem planejamento estratégico, sem profissionalização em todos os níveis, sem informações, sem conhecimentos especializados. Porque a identificação das exigências do público alvo exige sensibilidade e determinação, além de técnica.

    Satisfazer o cliente e acompanhar as demandas que se renovam a cada dia é uma missão alcançada apenas pelos profissionais obstinados. A orientação para o empresário que tenta avançar pela qualificação de sua equipe é não “comprar” treinamentos apenas teóricos com pequena ou quase nenhuma aplicabilidade prática. Treinar é investir sob medida, com rigor nos critérios na hora de selecionar e contratar instrutores.

    O que mais importa na organização de um plano de treinamento é saber o que ficará para a empresa e para a equipe participante. Em síntese, ao se investir em treinamento espera-se que haja aumento de produtividade, mudanças de comportamento, melhoria do clima humano na organização, redução de custos e de acidentes, rotação de pessoal, além de outros resultados.

    A abrangência do papel do treinamento na empresa moderna não se restringe apenas em oferecer condição para que o empregado melhor se capacite ou se desenvolva, mas também, como força capaz de intervir na organização e no processo produtivo. Só entendendo assim é possível dar à empresa o que ela espera: força capaz de ajudá-la na árdua tarefa de maximizar resultados, minimizando os custos e otimizando os recursos humanos disponíveis, tornando-os mais eficientes e mais eficazes.

    Aplicação técnica

    De volta ao pragmatismo, o treinamento envolve algumas etapas que devem ser seguidas para garantir o sucesso do treinamento, são elas:

    • identificação do cliente;

    • levantamento de necessidades;

    • diagnósticos;

    • elaboração ou planejamento;

    • execução e avaliação dos resultados obtidos com o treinamento.

    Aprendizado

    A tendência é que as empresas se tornem verdadeiros educandários, onde a formação humana e profissional seja um motor contínuo.  Elas são um microcosmo onde se dá os embates humanos. A gestão moderna leva essa percepção macro em consideração e faz com que o colaborador se sinta um agente de uma grande mudança que se processa no todo, a partir de pequenas células.